A esquerda baderneira Júlio César Cardoso

A esquerda baderneira

Baderneiros petistas comunistas, PSOL, PCdoB, MST, Via Campesina formam uma corja de subversivos que não sabem conviver no Estado Democrático de Direito e confundem anarquia com democracia. São reacionários às decisões da Suprema Corte, quando não lhes convêm, enquanto os demais cidadãos civilizados acatam com respeito o resultado do Judiciário, embora possam não concorda com ele.
O que fizeram com a propriedade da ministra Cármen Lúcia, em Belo Horizonte, jogando tinta vermelha na fachada do prédio,  dá a dimensão exata do movimento de insensatez de grupos partidários de esquerda.
 
Baratinados e desarticulados demonstram  que não absorveram  democraticamente a condenação legal de Lula, desmascarado pela Lava-Jato, o qual, até então, roubava a esperança dos pobres, desviando dinheiro para o seu bolso, através das empreiteiras OAS e ODEBRECHT, que deveria estar sendo empregado em educação e saúde das camadas mais necessitadas brasileiras.
 
Todos os subversivos que afrontaram a propriedade da ministra deveriam ser identificados e condenados a indenizar os prejuízos, bem como a ficar por muito tempo enjaulados, porque não são dignos de convivência social.
 
Esses arruaceiros, encomendados pela esquerda desmoralizada, não se conformam em ver Lula em seu merecido lugar: a prisão. Pensavam eles que podiam  tocar fogo no Brasil, mas se queimaram e o tiro saiu pela  culatra.
 
E onde ficaram as ameaças do "exército" do comunista  João Pedro Stédile (MST) - amigo do rei sem trono -,  da Via Campesina, do PSOL,  PCdoB e de outros parvajolas, que bravateavam parar  o país caso o ex-presidente fosse preso? Todos não passam de vira-latas covardes, só sabem latir de longe,  pois o fanfarrão Lula agora está na prisão.
 
Aqueles que desrespeitam as instituições e tentam achincalhar a República não podem ficar na impunidade. Pois bem, Dilma Rousseff, Gleisi Hoffmann e outros políticos deveriam ser processados por insistir que Lula foi condenado sem prova. Tais atitudes contra a decisão judicial brasileira, além de desrespeitosas, desmoralizam o Judiciário e difundem uma deslavada mentira. 
 
Ora, Eduardo Cunha, Adré Vargas, Gim Argello, Luiz Argôlo e Fernandinho Beira-Mar estão pesos por condenação judicial. Por que  o ex-presidente  deveria estar em liberdade, se as provas nos autos, atestadas pelo Judiciário, comprovam a sua culpabilidade?
A ex-presidente sul-coreana Park Geun-hye foi condenada a 24 anos de prisão, nesta sexta-feira (6), por corrupção e abuso de poder e, no entanto,  não houve nenhuma exaltação violenta similar à protagonizada por desvairados sectários esquerdistas brasileiros.
Voltar ao Topo

COMPARTILHAR