TCU determina revisão reajuste do pedágio da BR-101 TCU determina revisão reajuste do pedágio da BR-101
O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que revise o valor do pedágio cobrado na BR-101 nesta sexta-feira (19). A decisão foi motivada pela ação da bancada capixaba protocolada nesta terça-feira (16) no Tribunal de Contas da União (TCU). 
 
O deputado federal Sergio Vidigal (PDT-ES), membro da Comissão de Fiscalização da BR 101 da Câmara dos Deputados, esclarece que a revisão do pedágio é uma obrigação da ANTT, uma vez que o montante de investimentos não realizados é de quase R$ 100 milhões. 
 
A determinação do Tribunal de Contas da União (TCU) estabelece que a revisão tarifária do contrato de concessão da BR-101 autorizado pela Resolução ANTT 5.339/2017, não utilize valores superiores aos constantes na proposta comercial da empresa como base de referência para compensação do aumento de custos de manutenção do pavimento decorrente do art. 16 da Lei 13.103/2015.
 
“Permitir um reajuste de 15% sem grande parte dos investimentos realizados é um desrespeito a todos os usuários da rodovia. Esperamos agora que a ANTT e a ECO-101 se manifestem e acatem a decisão do Tribunal de Contas”.
 
Vidigal esclarece que o Espírito Santo e o Brasil vivem um momento de crise, com redução do fluxo de tráfego que circula pela rodovia. Por isso, o reajuste do pedágio deve ser condizente com os investimentos realizados e a realidade brasileira.
 
A ANTT e a Concessionária ECO-101 deverão se manifestar em 15 dias. O reajuste, no entanto, não foi suspenso. Foi solicitada pela bancada capixaba a verificação da possibilidade suspensão cautelar do reajuste de R$ 15,13% autorizado pela agência reguladora, permanecendo em vigor apenas o percentual correspondente à variação do IPCA (4,57%).
Voltar ao Topo

COMPARTILHAR