'Vi uma criança em chamas pular do 22º andar', diz testemunha do incêndio em Londres 'Vi uma criança em chamas pular do 22º andar', diz testemunha do incêndio em Londres

Enquanto um incêndio de grandes proporções atingia um prédio de 24 andares em Londres nesta quarta-feira (14), um morador relatou ter visto uma criança em chamas pular do 22º andar. As informações são do jornal Daily Mail.

— O fogo começou no terceiro andar, nós chamamos os bombeiros que chegaram 20 minutos depois, mas a coisa toda subiu muito rápido. Uma hora e meia depois eu vi uma criança em chamas no 22º andar. Ela foi até a janela e pulou.

Relatos de testemunhas horrorizadas surgiram nesta manhã, depois que o fogo já tinha destruído boa parte do prédio de nome Grenfell Tower, que abrigava cerca de 600 pessoas. Até o momento, seis mortes já foram confirmadas. O número de feridos levados a seis hospitais da região já passa dos 60, de acordo com informações oficiais da London Ambulance. Vinte deles encontram-se em estado crítico.

Julian Redhead, diretora médica de um hospital da NHS (National Health Service, equivalente ao SUS britânico), confirmou ao jornal The Guardian que a maioria das pessoas foi hospitalizada por inalação de fumaça.

Samira Lamrani, que passava pelo local, contou à agência de notícias Reuters que um bebê envolto em chamas foi atirado da janela do nono ou décimo andar e salvo por um indivíduo que se encontrava do lado de fora.

Uma mãe com seis filhos se deseperou para tentar descer do 21º andar pelas escadas. Quando chegou ao térreo, percebeu que duas das crianças tinham desaparecido, relata outro morador ao Daily Mail.

— Eu vi muitos dos pais e mães que moravam no prédio gritando "salvem minhas crianças" enquanto as jogavam das janelas.

Um homem que saiu correndo do sétimo andar com sua família contou que os moradores costumavam ser orientados a permanecerem em seus apartamentos em caso de incêndio.

— Nos diziam que a estrutura do prédio tinha condições de resistir ao fogo por uma hora e que neste período nós seríamos resgatados. Se eu tivesse seguido essa regra, não estaria vivo agora. 

Voltar ao Topo

COMPARTILHAR