Quem não toma café da manhã acumula mais gordura nas artérias Quem não toma café da manhã acumula mais gordura nas artérias

Ter no cardápio do café da manhã apenas um café ou menor de 5% das calorias diárias (100 em uma de 2 mil recomendadas) pode aumentar os riscos de sofrer aterosclerose, o acúmulo de gordura no interior das artérias.

A constatação é de um estudo do Centro Nacional de Investigações Cardiovasculares Carlos III (CNIC), em Madri, na Espanha, realizado em colaboração com o Banco Santander. A aterosclerose, até quando não apresenta sintomas, pode ser causa de um acidente vascular cerebral.

Os pesquisadores usaram nova tecnologia de ultrassom que produz ecografías precisas em 3D para medir o acúmulo de gordura nas artérias de 4 mil pessoas sem problemas cardiovasculares aparentes. Os voluntários, que tinham entre 40 e 54 anos, também responderam a um questionário detalhado sobre sua dieta durante os 15 dias anteriores à pesquisa.

Analisando seus dados, publicados na revista do Colégio Maericano de Cardiologia (JACC), os pesquisadores determinaram que apenas um quinto dos participantes tomava um café da manhã reforçado, com mais de 20% das calorias diárias, enquanto que 3% não fazia a primeira refeição do dia ou a fazia mal, consumindo menos de 5% das calorias diárias.

No primeiro grupo, 57 pessoas de cada 100 mostraram algum tipo de aterosclerose subclínica (sem sintomas), mas os casos aumentaram a quase 75 por cada 100 no segundo grupo.

Os resultados são independentes de outros fatores de risco cardiovascular, como obesidade, diabetes ou hipertensão. Além disso, tratando-se de alter esclerose subclínica generalizada - aquela que afeta ao menos quatro das seis artérias principais do corpo e, portanto, a mais séria - a incidência quase triplica mas pessoas que não tomam o café da manhã se comparadas àquelas que comem bem antes de sair de casa: passa de 10% dos casos a 29%.

Um café da manhã reforçado "acorda" o relógio biológico do corpo, responsável por regular a fome durante o resto do dia, acreditam os cientistas.

Voltar ao Topo

COMPARTILHAR