MPF pede prisão de Carlos Arthur Nuzman por tempo indeterminado MPF pede prisão de Carlos Arthur Nuzman por tempo indeterminado

Carlos Arthur Nuzman, presidente afastado do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), foi preso na última quinta-feira em caráter temporário. O prazo terminaria nesta segunda-feira, mas o Ministério Público Federal (MPF), pediu sua prisão preventiva, o que lhe tirará a liberdade por tempo indeterminado.

Nuzman chega à sede da PF. Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016 foi preso suspeito de intermediar compra de votos na escolha da Rio 2016

Alvo de investigação na Operação Lava-Jato, o dirigente é acusado de intermediar pagamento de propina para que a cidade do Rio de Janeiro sediasse os Jogos Olímpicos de 2016.

O MPF aponta a ocultação de bens, como 16 quilos de ouro, para pedir sua prisão preventiva. Além disso, os procuradores tentam prorrogar a prisão temporária de Leonardo Gryner, ex-diretor do COB.

Além dos dirigentes, o ex-governador Sérgio Cabral também estaria envolvido no esquema. Os presos serão indiciados pelos crimes de organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro.

 

Voltar ao Topo

COMPARTILHAR