Da ostentação nas redes sociais para o arroz com feijão no presídio Da ostentação nas redes sociais para o arroz com feijão no presídio

Após ser presa na Ilha do Governador, nesta terça-feira, Danúbia Rangel foi transferida para a Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo Penitenciário de Bangu e está em uma cela sozinha.

A mulher do traficante Antonio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, era procurada há mais de um ano pela polícia. Nas redes sociais, ela continuava ostentando uma vida de luxo.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), o cardápio de almoço e janta de Danúbia na cadeia inclui arroz ou macarrão, feijão, farinha, salada, sobremesa, carne branca ou vermelha e refresco.

Já o desjejum é composto por pão com manteiga e café com leite. No lanche terá guaraná e pão com manteiga ou bolo.

Condenada a 28 anos de prisão por tráfico de drogas, associação ao tráfico e corrupção ativa, Danúbia estava saindo da casa de uma amiga, na Rua Carlos Magno, quando foi presa.

A rua fica a 20 minutos, a pé, do Morro do Dendê. Assim que ela foi presa, vários disparos foram feitos do morro, o que fez os policiais das delegacias da Pavuna e de Nova Iguaçu saírem do local, que é uma área residencial.

Ostentação

Fascinada por óculos escuros e espelhados, roupas de grife e sol, fotos novas de Danúbia apareciam nas redes sociais, mesmo foragida.

Uma semana antes de ser condenada, foi solta para cuidar da filha que tem com Nem. A sua primogênita, que teve com outro traficante, morreu aos 13 anos de tuberculose. No dia 29 de setembro, um perfil no Facebook atribuído à mulher do traficante postou: “Quem nasceu pra rainha nunca perde a majestade”. Em outra frase, escreveu: “Foragida  sim, de boa tamb

Voltar ao Topo

COMPARTILHAR