Bolsonaro diz que só abandona candidatura se for morto ou tirado Bolsonaro diz que só abandona candidatura se for morto ou tirado !
Pré-candidato à Presidência, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) disse, em vídeo publicado em suas redes sociais, que só deixará a disputa eleitoral se for tirado "na covardia" ou se for morto. 
Ele reagiu a reportagens do jornal "Folha de S.Paulo" que mostraram seu aumento patrimonial. Desde 1995, ele recebe da Câmara auxílio-moradia mensal de R$ 3.083 mesmo tendo um apartamento em Brasília, comprado em 1998. No vídeo, o deputado chama o jornal de "canalha".
 
— Só (em) duas situações eu posso não estar esse ano no debate presidencial. Se me tirar na covardia por um processo qualquer [...] ou se me matar. Não estou preocupado com isso. Se me matarem, vão ter que me enterrar. Vão arranjar outro Celso Daniel — declarou o deputado, fazendo referência ao ex-prefeito petista de Santo André (SP), morto em 2002.
 
No vídeo de cerca de 12 minutos, Bolsonaro diz que não é corrupto e que nunca foi citado em escândalos de corrupção. Ao justificar o recebimento de auxílio-moradia, o deputado afirma que "está propenso" a vender o apartamento de Brasília para usar os imóveis funcionais da Câmara, que, segundo ele, representam um custo maior do que o benefício que ele recebe.
 
Bolsonaro atribui as reportagens sobre seu aumento patrimonial ao fato de ser um "intruso no poder". Embora esteja em seu sétimo mandato na Câmara dos Deputados, ele diz que é "uma pessoa completamente fora do establishment".
Voltar ao Topo

COMPARTILHAR